Economia

O fim da exploração e da dominação pelo dinheiro...

Economia

Por milênios, a economia do planeta, baseada na moeda corrente, deteriorou as relações dos terrenos. Essa cultura econômica incentivou incansavelmente a competição sem escrúpulos, o desejo desmesurado por fortuna e poder, a desconfiança em relação ao próximo, o desprezo pelos menos favorecidos, o stress e a doença, causados pela insegurança do desamparo financeiro; perpetuou as crises mundiais, responsáveis pela miséria, fome, por morticínios em massa e por guerras fraticidas sem sentido.

Em tempos idos, esse modelo, colocou o poder nas mãos dos mais cruéis e desonestos, ao invés de privilegiar os bondosos e probos. Condecorou o rico apenas por sua condição monetária e não pelo seu merecimento. Devastou o planeta, que teve seus recursos praticamente esgotados, por conta de comerciantes e industriais inescrupulosos.

Mas tudo agora mudou. Tudo pertence a todos, o dinheiro inexiste e a população tem uma vida igualitária. A utopia socialista do passado se tornou possível devido a uma simples coisa: a eliminação da corrupção, a raiz de todos os fracassos pretéritos. Para que furtar o erário, se tudo é de graça e fornecido em cota equânime e justa para todos?

Os governantes superiores são Mestres Ascensos, Seres evoluidíssimos, afeitos somente às coisas do espírito.

A rotina honesta, que perdura há séculos, eliminou completamente qualquer tentação para o mal dos habitantes do futuro.

Todos trabalham, respeitando as diferenças individuais, mas a recompensa é dividida entre todos. O governo é o responsável por distribuir toda a riqueza produzida, e o faz de forma extremamente eficaz.

As pessoas são felizes, não porque foram submetidas a uma lavagem cerebral, mas simplesmente porque estão satisfeitas com um sistema que funciona e que não comete injustiças.

Agora sabemos a quem pertencia 'o olho que tudo vê', situado no topo da pirâmide, símbolo dos extintos Illuminati, que ilustrava a antiga nota de dólar.