Conscendendum

Nesses fins de tempos há de se ter cuidado...

O Mal se Disfarça

Nesses fins de tempos há de se ter cuidado.

Os fins de tempos citados se referem a uma mudança profunda, que ocorre no posicionamento consciencial e espiritual de nossa humanidade, evento que se tornou inevitável. Os tempos de batalhas dessa etapa acabaram e o epílogo da nossa guerra interna é chegado; não existe mais tempo para indecisões, ou vencemos ou aceitamos a derrocada.

Trata-se de uma época extremamente estranha, onde os valores adquiridos, no decorrer de milênios de ciclos de renascimento, parecem desaparecer em meio à anarquia de ações primitivas, guerras, individualismo, apego ao material e ausência de princípios ético-morais. Afinal, evoluímos alguma coisa ou não, durante esse período? A resposta é que alguns sim e outros não. E a esses retardatários, que pouco avançaram, é dada uma última chance, que muitos não estão aproveitando.

Existem aqueles que, além de não se mostrarem dispostos a seguir o caminho que a intuição monádica lhes sugere, laboram para a corrente contrária, pois são demasiadamente apegados ao materialismo, ao mundo das formas e dos sentidos e se sentem infelizes com o novo horizonte que se descortina. São os perpetuadores do atraso, da preponderância material e do egocentrismo. Tornaram a nossa sociedade desagradável, movida por princípios ilusórios, que não levam a lugar algum.

Não se vê mais a felicidade, nem nas feições do próximo, nem nas nossas. A cada dia, o indivíduo se interroga, sobre o porquê da rotina incessante e de tanto trabalho infrutífero. Vivemos somente para trabalhar e dormir em um ciclo interminável, apenas para, ao final, gerarmos novos autômatos, na figura de nossos filhos, futuros adultos infelizes, colaborando para que esse esquema questionável perdure.

Nem o sono, que deveria ser repousante para o corpo e de atividade construtiva para a mente, nos dencansa pois, levados pelo stress do dia a dia, temos sonhos repetitivos, relacionados com os problemas mundanos cotidianos, que tem o efeito contrário, pois são baseados na competição social, no medo do desamparo próprio e dos nossos familiares, no receio de que os inimigos nos façam mal, e assim por diante.

Não nos dão tempo para pensar em coisas mais nobres, no que realmente importa, nas coisas da mente e do espírito.

Há aqueles que nem trabalho conseguem nessa sociedade injusta atual e, mesmo esses, são entupidos de lixo cultural, de novelas baratas, de programas idiotizantes e de falsos valores, contidos em um marketing insalubre.

São tempos de mudança, mas também são tempos onde a expressão dos defeitos da nossa sociedade aflora em seu grau máximo. Os malévolos resistentes perpetram todo o mal, disfarçando-o com imerecidas qualidades, enquanto desenvolvem seus planos mirabolantes em favor da matéria e em detrimento do espírito, planos de caráter anti-progressista.

O homem nasceu para ser feliz, aprimorando-se em suas qualidades, não para trabalhar egoísticamente e incessantemente, durante toda a sua vida, perseguindo algo que nunca conseguirá alcançar. Não que estejamos estimulando o ócio, o trabalho é dignificante, mas na medida certa e com propósitos altruístas.

Infelizmente, hoje a humanidade é governada pelos 'adeptos da densidade', os 'vampiros deletérios', que tudo fazem para nos manter nesse nível grosseiro da matéria. Tentam incansavelmente e conseguem, até agora, obliterar os nossos sentidos superiores. Inventaram esse modelo de sociedade regulada pelo ouro, pela moeda e pelo dinheiro, apenas para escravizar-nos dia após dia. Manipulam toda a informação qua chega até nós, incutindo-nos a figura do 'killer', aquele que consegue enriquecer, 'vencer na vida', e do 'loser' aquele que nunca progrediu monetariamente, descrevendo-o como um ser infeliz, desgraçado.

A sociedade nesses moldes faz o indivíduo aspirar incondicionalmente o sucesso financeiro, mesmo que para isso tenha que praticar o mal. O mal, por acaso, é permitido nesse contexto, pois melhor ser um rico com um currículo não tão limpo do que um pobre sem mácula. Não têm ideia dos encargos cármicos que está angariando.

Os adeptos da densidade armam as nações até os dentes, todas elas, justificando para o ocidente uma fictícia luta contra o terrorismo oriental. No oriente, por sua vez, fazem com que tenham a mesma visão dos ocidentais. Na maior parte das vezes, são os próprios adeptos da densidade que provocam as situações de terror, os atentados, estimulando o embate entre as duas partes. A guerra é triplamente útil à esses senhores, pois além de endividar e escravizar ainda mais as nações envolvidas, que entregam seu patrimônio e sua liberdade em troca das armas necessárias, reduzem 'beneficamente' a população, gerando também mais ódio e carma, o que liga ainda mais as almas participantes da querela, à matéria densa, prolongando esse ambiente mórbido de baixas vibrações.

Transformam mentiras brutais em verdades, maculam o código da ética universal, corrompem a mente dos incautos, transmutam as mortes de milhões em simples estatísticas...

Temos que ter em mente que esses 'senhores do atraso' encontram-se condenados e fazem de tudo para que todos ao seu alcance tenham o mesmo fim. Cooptam almas como no conhecido cliché demoníaco.

Esse mesmo grupo que criou essa sociedade, de funcionamento daninho e vicioso planeja, há algumas décadas, o golpe final, a implantação de uma só nação mundial, com a unificação de todas as pátrias terrenas, aos moldes nazistas, governadas por eles mesmos e utilizando a humanidade como massa servil escrava ou como insumos para os seus vis desejos, movimento esse que conquista adeptos sob o nome de 'Nova Ordem Mundial'.

O objetivo da unificação das nações pode até parecer nobre, à primeira vista, se fosse dirigida por Anjos, mas não nos esqueçamos de quem a governará serão aqueles que estimularam as guerras e a mortandade, para nutrir seus interesses de poder: são banqueiros e industriais poderosíssimos, que agora detém o controle mundial e que estão sob o jugo de seres ainda mais bestiais.

Felizmente, temos notícias de que uma miríade de seres, oriundos de orbes do bem, foram convocados pela federação, para nos auxiliar na libertação do claustro imposto por essa cabala do mal (elite), há mais ou menos treze milênios.

Estão aqui agora, impondo uma derrota aos senhores malignos, uma vez que seu domínio sobre os terráqueos se tornou tão grande, que tornou-se impossível uma reação autóctone.

Torçamos para que tudo dê certo e para que os irmãos libertos do bem, não desistam de nós.

Agradecemos, do fundo de nossa essência, àqueles que, de boa vontade, se dispuseram a sair dos mundos de felicidade e harmonia, a fim de intervir, altruisticamente, em uma sociedade de tão baixas vibrações, de tão baixa receptividade.

Sinceros desejos de ascensão

CS