O Coronavírus e o Evento

O extremismo das ações contenedoras contra o vírus sugerem que o evento está próximo


Estamos vivendo uma época una. Não se tem similar na linha do tempo atual. Pergunte a seus ascendentes e obterão a mesma resposta: nunca se viveu nada parecido.

O que se interroga são ações de contenção tão extremas, para uma patologia viral, que tem taxas de letalidade média de 3% em idosos e de 0,2% em jovens. E, mesmo assim, a grande maioria dos pacientes que falecem por essa gripe, tem patologias associadas como o diabetes descompensado ou estão severamente imunodeprimidos.

O interessante é que cursamos, desde sempre, com uma pandemia quase tão letal quanto o COVID 19 (Corona), o sarampo, que é muito mais transmissível, e nunca tivemos reação semelhante do governo. Ouçam esse trecho de um artigo extraído do site G1 (link na descrição): "No caso do sarampo, uma estimativa da OMS aponta 10 milhões de casos e 142 mil mortes no ano passado, uma taxa de letalidade perto de 1,42% no mundo. Apesar de matar menos do que a família coronavírus, o sarampo tem uma capacidade muito maior de transmissão: enquanto uma pessoa com coronavírus Sars-Cov-2 pode infectar até 3 pessoas, de acordo com Weissmann, um paciente com sarampo pode atingir até 18. Além disso, a doença tem um público de risco oposto ao do coronavírus: atinge principalmente as crianças, enquanto o novo vírus atinge principalmente idosos.".

É preciso assimilar que as ações dos dirigentes tem como objetivo a criação de um pretexto, com o fim de ocultar a guerra que ocorre, nesse exato momento, entre as elites planetárias.

Esse embate tem origens na dominação financeira mundial, exercida pelo ocidente, por meio de seu "dinheiro mágico da Babilônia". Um dinheiro que é criado do nada, sem ancoragem alguma, pela simples modificação de dados em um computador.

As maiores economias orientais e dos demais países do terceiro mundo, sejam do ocidente ou do oriente, são então obrigadas a enviar suas produções, em troca de dinheiro virtual, que não custou nada ao adquirente além de algumas dedadas em seus computadores.

Desde muito tempo, há um descontentamento com essa situação, e um clamor pela volta do padrão-ouro, ou seja, para que haja emissão de dinheiro, seria necessário o concomitante depósito do equivalente em ouro.

Isso originaria um sistema financeiro menos injusto, onde se acabaria com esse poder ilimitado que as grandes economias tem de emitir moeda a seu bel prazer, o que gera inflação descontrolada e toda a sorte de crueldades e desigualdades, com as quais essa torpe elite se compraz.

Parece que os eventos presentes são o prenúncio de uma situação anunciada de alguns anos para cá: o reset financeiro, com a atualização para um modo de trocas mais justo.

Concomitantemente, sinais subliminares estão sendo dados em todos os meios de comunicação, denunciando essa guerra de bastidores, onde o número 33 é citado em inúmeros artigos. Trata-se de um número sagrado para o cabal e suas secretas sociedades.

Os embates também envolvem as inúmeras denúncias de crimes, perpetrados pela elite cabalista, de pedofilia, tráfico sexual de crianças e adultos, tráfico de crianças e adultos para sacrifícios satânicos e de bárbaros crimes contra a humanidade. Isso se relaciona com mais de 10 mil processos selados, que correm em segredo de justiça, somente nos Estados Unidos.

O fráter da Conscendo deve manter a calma, pois todos nós sabíamos, antes de aqui nos fazermos presentes, que viveríamos num período de transição de Gaia e que as turbulências são características dessas situações.

Mantenham algum estoque de alimentos e de água em suas residências, que seja suficiente para, pelo ao menos, 30 dias.

Como, a cada segundo, as linhas de tempo se dividem aos milhares, é nosso dever vibrar e sintonizar com uma que seja benéfica e positiva para toda a humanidade que, por sua vez, adentra uma nova era, com a eliminação de nossa matrix da densidade 3.

Sinceros desejos de Ascensão
Conscendo Sodalitas