Planeta Conscendo


• Alimentação


(descrita por um habitante da Terra do futuro)


A alimentação carnívora é duplamente condenável. Primeiramente, porque os alimentos dessa classe são produzidos com a utilização de meios cruéis. Temos que ter em mente que os nossos irmãozinhos da natureza, os animais, não se encontram aqui para usufruto humano. Tem sentimentos e emoções, como nós, e a crueldade com eles nos gera carma. Criá-los, para depois matá-los friamente, é um ato anti-natural e, portanto, anti-ético, moralmente falando.

Em segundo lugar, a carne animal não é um alimento adequado ao homem. Contém inúmeras toxinas que vão metodicamente envenenando o corpo humano, durante toda a sua vida, reduzindo sua expectativa de vida e matando-o precocemente.

Além das toxinas físicas, a carne vem embebida etericamente, dos sentimentos animais, dos nossos irmãozinhos menores que, na atual fase de evolução humana, deveríamos evitar. Principalmente durante a sua morte, a angústia gerada pelo abate traumático, impregna todo o corpo do animalzinho de sentimentos de pavor, que se transferem para a psique humana, atrapalhando os seus afazeres diários.

A dieta da Terra do futuro é exclusivamente vegetariana. Os nossos irmãozinhos do reino vegetal não tem ainda a complexidade dos sentimentos animais e não transferem para os seus frutos nenhuma carga negativa. Mesmo assim, todo método de extração vegetal é ritualístico, em clima de respeito, evitando a geração de qualquer trauma para as queridas plantinhas, das quais tanto dependemos e as quais somos tão gratos.

Apenas com a adoção do vegetarianismo, o ser humano do passado teria sua sobrevida aumentada em 50%. Evitaria várias doenças degenerativas como o Parkinson e o Alzheimer, entre inúmeras outras.

Adicionando a ela um toque de manipulação genética, e a ausência quase total do stress, a expectativa de vida se igualaria à nossa.