Skull & Bones


O que se sabe


Skull and Bones (Caveira e Ossos) é a mais conhecida das sociedades secretas, com base na Universidade de Yale. Foi fundada em 1832 por William Huntington Russell e Alphonso Taft, dois estudantes que não foram admitidos na fraternidade Phi Beta Kappa, da mesma Universidade de Yale, em New Haven, Connecticut. Existem duas outras fraternidades muito influentes em Yale, são elas a Scroll and Key e a Wolf's Head ("Cabeça de lobo").

Os candidatos são exclusivamente homens brancos, protestantes, e são originários habitualmente de famílias muito ricas.

A primeira reunião ou "coorte" da Skull and Bones, ocorreu em 1833. Skull and Bones é também conhecida por muitos outros nomes, incluindo a Ordem da Morte, a Ordem, O Clube da Eulogia e Loja 322. Os iniciados são mais comumente conhecidos como Membros da Caveira, Cavaleiros do Eulogia e 'Boodle Boys'.

As mulheres, que foram recentemente autorizadas a se tornarem membros, são conhecidas como Boneswomen (Mulheres dos Ossos), Senhoras da Eulogia e 'Boodle Girls'. Em público, sua razão social é o Russell Trust Association. Em 1999, tinha ativos de U$ 4.133.246,00.

Caveira e Ossos é a única sociedade secreta conhecida por ter uma casa de verão e sua própria ilha privada. Esta ilha privada, uma das 'Mil Ilhas', situadas na área territorial cinzenta, entre Estados Unidos e Canadá, foi entregue à Ordem por uma de suas primeiras famílias de benfeitores misteriosos.

Em vários pontos, Skull and Bones é uma sociedade diferente de outras fraternidades e irmandades semi-secretas. Primeiro, sua lista de membros é um segredo para o público, bem como as suas atividades. Segundo, se auto denominam "sociedade sênior", na qual os novos membros são aceitos somente a um ano de suas formaturas. Terceiro, os membros têm, obrigatoriamente, uma história de crimes praticados para a Ordem. Se estes crimes fazem parte da iniciação ou funcionam simplesmente como um teste para colocar o candidato sob pressão, é um mistério. Por exemplo, furtos de sepulturas foram cometidos em várias ocasiões.

Boatos sugerem que o túmulo dos Skull and Bones, como é denominado seu local de reuniões, abriga o crânio que pertenceu a Gerônimo, o famoso líder indígena, que foi furtado por Prescott Bush, estudante de Yale em 1918, ex-senador de Connecticut, pai do presidente George HW Bush e avô do presidente George W. Bush. Ele desenterrou o crânio, juntamente com dois outros estudantes, do cemitério federal de Fort Sill, Oklahoma e o deu como presente para a fraternidade.

Algumas fontes afirmam que 'The New Haven Tomb', o túmulo de reunião dos Skull and Bones, abriga também os crânios de Pancho Villa e Che Guevara.

A Ordem inspira, ocasionalmente, uma lealdade fanática. Relatos afirmam que seus membros têm a rotina de fixar as 'insígnias dos ossos' em sua carne, com alfinetes, para mantê-las consigo, durante o banho ou natação.

Tanto John Kerry e George W. Bush são membros da Caveira e Ossos. Bush já afirmou ser um membro da ordem, mas se recusou a falar sobre ela durante a sua entrevista, em 09 de fevereiro de 2004, no programa Meet The Press, da NBC.

Em outra entrevista, quando Kerry, por sua vez, foi inquirido sobre o que ele poderia revelar sobre a Caveira e Ossos, Kerry disse: "Bem, não muito, porque é um segredo ... Desculpe, eu gostaria que houvesse algo que eu pudesse dizer ..." e, em seguida, rapidamente mudou de assunto. Bush nomeou 11 membros Skull and Bones para compor sua administração, no seu primeiro mandato.

A ordem tem a rotina de tirar uma foto a cada quinze novos componentes, que são posicionados sempre no mesmo ambiente, com a caveira e os ossos sobre uma mesa e um relógio de pêndulo marcando oito horas, posicionado atrás dos membros.

A Caveira e Ossos é um capítulo nos EUA, de uma sociedade secreta alemã de 1800. Aqueles iniciados que, por algum motivo, ficaram descontentes, com a organização, descrevem que as paredes internas da 'tumba' ostentam muitas fotos alemãs, imagens de caveiras , suásticas, e talheres utilizados por Hitler, obviamente roubados da Alemanha, após a Segunda Guerra Mundial.

O co-fundador da ordem, William Huntingdon Russell, passou algum tempo estudando na Alemanha. Tem sido sugerido que, enquanto ele esteve lá, foi iniciado em uma sociedade secreta, que usava uma caveira e ossos como o seu emblema. Alguns afirmam que ele foi iniciado em um capítulo Illuminati. Material oficial, obtido da Caveira e Ossos apóia essa teoria.

A partir de 1833, a cada ano, é atribuída à coorte de Sêniors, a tarefa de selecionar quinze novos membros Juniors para substituí-los. Isto é chamado "tapping" (ser selecionado para a sociedade). Ser escolhido para fazer parte da Skull and Bones é visto, por muitos estudantes de Yale, como a mais alta honraria que pode ser alcançada, apesar de alguns dos 'escolhidos' recusarem o convite.

Durante um ano, os membros dos Ossos se reunem pelo menos semanalmente. O objetivo é criar um vínculo de longo prazo entre eles, uma vez que deixam a universidade, logo após um ano da data de entrada na Ordem. No 'túmulo' da Skull and Bones existem quartos que alguns acreditam serem usados para adoração satânica ou outras práticas ocultistas. Kris Millegan descreve salas estranhamente arranjadas, semelhante a dos Illuminati bávaros.

Durante a admissão, os novos membros são forçados a revelar os seus segredos mais íntimos e sua "biografia sexual" um ao outro. Refere-se que isso pode ser usado para chantagem, no futuro.

Uma vez por anos, os membros fazem sua refeição usando o conjunto de porcelanas e talheres de prata que pertenceram a Hitler. Na tumba, todos os membros usam pseudônimos. Os adeptos da Skull and Bones se denominam "cavaleiros", e se referem a todos os outros como "bárbaros".

A Ordem incentiva os membros a ver o mundo, fora da Caveira e Ossos, de forma insensível e a serem dissimulados. Outra dissociação é que os relógios do 'túmulo' dos ossos, intencionalmente correm cinco minutos mais rapidamente, para transmitir aos membros a sensação de que o 'espaço Bonesmen' é um mundo totalmente separado - e um mundo à frente do dos "bárbaros".

À primeira vista, o "tapping" poderia ser considerado um evento meritocrático. No entanto, percebe-se que os novos membros são escolhidos sempre das mesmas famílias de poderosos, os chamados "irmãos varanda", membros que sempre pertenceram à casta administrativa mais alta e poderosa dos E.U.A.

.

Texto traduzido do site 'www.crystalinks.com'