Conscendendum


Hermetismo


A complexidade do universo infinito nos limita sua compreensão; principalmente quando tentamos partir dos detalhes, para chegar a conclusões mais amplas. A melhor maneira de compreendê-lo é resumí-lo em princípios simples, que podem ser aplicados ao todo.

Ninguém fez isso melhor do que Hermes Trismegisto. Na realidade, o termo Hermes Trismegisto se refere a um grupo de iniciados e não a uma só pessoa, iniciados esses que produziram uma série de volumes de escritos, outrora guardados na biblioteca de Alexandria, que abordavam diversos temas, entre os quais figuravam agricultura, geologia, botânica, astronomia, astrologia, matemática, arquitetura, medicina, política, filosofia, rituais sacerdotais e teosofia.

Os textos teosóficos mais importantes e esclarecedores sobreviveram às eras, sob os títulos de Corpus Hermeticum e Tábua de Esmeralda. Posteriormente, no século XIX, três iniciados compuseram um resumo das leis Herméticas, em um livro denominado Caibalion (palavra grega que tem o mesmo significado hebraico de Cabala, ou 'recepção').

O Hermetismo já formou a base de inúmeras sociedades esotéricas e, em Caibalion, define princípios importantíssimos que, sozinhos, podem levar à iluminação, qualquer indivíduo, de razoável esclarecimento, que persistentemente resolver meditar sobre elas.

O primeiro princípio, o da 'Mentalidade', define que o Universo é estritamente mental: " O Todo é Mente; o Universo é mental ". Qualquer artefato, em qualquer um dos planos existenciais, deve ser primeiramente pensado, para só depois ser concretizado. Uma pá, um martelo, um avião devem sua existência aos pensamentos criadores de seus produtores. O Frater pode indagar que os mundos naturais não foram criados por ninguém, surgiram espontâneamente, seguindo o princípio evolutivo natural. Pois saibam que tudo que existe no Universo, até nós mesmos, sem excessões, é produto da mente de algum Ser. Os Devas, os Logos Planetários, os Logos Solares e assim por diante, por meio de seus pensamentos, formam uma cadeia mental infinita que, por sua vez, é a força mantenedora de tudo o que existe. Se o pensamento dessas mentes divinas cessace, tudo o que percebemos se dissolveria instantaneamente. Toda jornada evolutiva visa desenvolver o poder mental criador. Apenas um adendo, um acréscimo, de fundamental importância, deve ser aqui mencionado, a mente não é nada sem o impulso, sem a vontade, sem o verbo, tudo o que existe, portanto, é resultado da dupla máxima vontade/mente.

Com o segundo princípio, o da 'Correspondência', podemos deduzir tudo sobre a Expressão Universal Logóica. Nos presenteia com uma máxima que nos ilumina e esclarece, levantando grande parte do 'Véu de Ísis'. Ele nos diz: " Como é em cima, assim é embaixo; como é embaixo, assim é em cima ". O microcosmo é igual ao macrocosmo. O sistema solar é uma molécula ampliada. As leis que regem a dinâmica molecular são as mesmas dos sistema estelares. Nosso corpo é um universo em miniatura. Para ver o todo, olhemos para o espelho.

O terceiro princípio, denominado 'Princípio da Vibração' afirma que " Nada está parado, tudo se move, tudo vibra ". Desde a mais ínfima partícula sub-atômica, e mesmo de partículas ainda menores, até os inimagináveis e infinitos universos, em qualquer um dos planos conscienciais, está presente a vibração, inerente à criação. O que aparenta estaticidade, na realidade está repleto de impulso e vibração.

O quarto princípio, o da 'Polaridade', diz: " Tudo é duplo, tudo tem dois pólos, tudo tem o seu oposto. O igual e o desigual são a mesma coisa. Os extremos se tocam. Todas as verdades são meias-verdades. Todos os paradoxos podem ser reconciliados ". A existência da luz depende da coexistência da sua contra-parte, o escuro. O Uno é inexpressivo sem a binarização. O bem existe graças ao mal. A compreensão desse aparente paradoxo é a chave para o despertar de nosso poder criador latente. É necessário ser um mestre enxadrista, que vê o jogo de cima, friamente antecipando as jogadas, em um tabuleiro onde o bem e o mal são os meios pelos quais a alma experimenta sensações, a fim de evoluir. O bem e o mal fazem parte de um contexto, necessário à jornada evolutiva.

O quinto princípio é o do 'Ritmo' e esclarece: " Tudo tem fluxo e refluxo, tudo tem suas marés, tudo sobe e desce, o ritmo é a compensação ". Depois de toda tempestade surge a calmaria, e vice versa. O inspirar é precedido pelo expirar. Da destruição se origina nova criação. São os ciclos intermináveis da existência.

A 'Lei do Gênero', que compõe o sexto princípio afirma que " O Gênero está em tudo: tudo tem seus princípios Masculino e Feminino, o gênero manifesta-se em todos os planos da criação ". Se confunde, não sem razão, com o quarto princípio. Toda força criadora é bipolarizada e hermafrodita em sua essência. O pensamento que cria, o ser que se origina, são dependentes de princípios causais masculinos e femininos. O Deus Uno contém, em si mesmo ambos os sexos.

O sétimo princípio deve ser o mais conhecido de todos, pois foi adotado e colocado como bandeira pela maioria das correntes espiritualistas, trata-se da 'Lei da Causa e Efeito' ou 'Lei do Karma'. Elucida que " Toda causa tem seu efeito, todo o efeito tem sua causa, existem muitos planos de causalidade mas nenhum escapa à Lei ". Assim como quem esmura um muro, tem sua mão machucada pelo efeito que o muro exerce consequentemente sobre si, quem pratica o mal, deve estar preparado para também recebê-lo, em consequência. A prática do bem, por sua vez, tem o efeito de gerar boa carga cármica positiva, harmonizando o ambiente do ser bondoso. Vigia constantemente, controla o que fala, o que deseja, o que pensa...